Remember

Ah, aquele quartinho de visitas, com duas camas de solteiro e um abajur que dava choque… final de tarde, acordando, e as trovoadas de mais uma chuva de verão. Que saudade imensa me assalta agora.

Como as lembranças podem voltar com quase a mesma intensidade do presente que hoje é passado.

Tenho uma boa memória. Uma excelente memória. Isso é muito ruim, principalmente para os outros. É ruim para mim, em certa medida.

Mas prefiro, infinitamente, que seja assim. Minha memória me acompanha, me conforta.

Posso nunca esquecer das coisas ruins. Nem por isso sofro em doses repetidas.

De lucro, tenho as melhores lembranças da minha vida frescas e presentes sempre.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: