Encontro não marcado

Teu desabamento se fez

naquela manhã

diante do meu sorriso

Era depois das dez

eu nada queria do mundo

Costuraste cada momento

a chamar-me atenção

a agulha alinhavava

as palavras

em cada sábado pela manhã

Em adivinhações

ao fulgor dos dias

eu me desfazia

em tua leitura

Era dia

eu distraída

sorri em alforria

o sorriso que não se dá

ao vento traiçoeiro

Ao acolhê-lo

levaste contigo

meu desabrigo

Tens toda vida

meu bem

a decifrá-lo em arritmias

a aflorá-lo em fotografias

a provocá-lo em nostalgias

E a vontade ficou

num almoço a dois

a rezar silenciosa

meses a fio

e eu sabia

– era teu, o sorriso meu

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: