Rastilho

Queima-me a alma

estopa embebida em paixão

Sangrento devaneio das tardes

Teu corpo quis

Pereci no desejo

Daqueles anos, uma canção

Meias palavras e adeus

Queima-me o presente

querosene pelo chão

dias enfadonhos vêm e vão

Foste traição

Em meio à tarde

Ardo vontades

Não mata nem fortalece

Se faz rastilho

aos olhares, cobiças

E saudades e carros

e noites intermináveis.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: