Tristeza Penitente

Peço que se calem

As vozes torpes e vis

Da pura e maldita realidade

Afastem de mim o pensar

E todos os seus dogmas

E preconceitos deixem

Que eu me desiluda

Perca-me no ir e vir

Da vida e do caos que

Se faz na minha

Cabeça e alma aflitas

Não me renderei a nada

Que não seja fruto

Da felicidade e orgulho

Que provam os insensatos

E inconseqüentes

Aqueles que estão três

Passos à frente dos sérios

E cinco atrás dos estúpidos

E por isso alcançam a

Outra realidade doce

E entorpecente dos

Dias e dias passados na

Ação da contemplação

Calem-se, vozes

Da tristeza

Penitente.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: