Mesmo fôlego

 

Riscos de giz na calçada

e a noite que trouxe consigo

as folhas em rodopio

de um limoeiro antigo

a valsa sem par inunda a sala

a recordar o marulho

de um dia que tanto amei

 

É o ar exausto que expiro

pelo futuro de tons doces

almejo-o como ao amor

como tê-lo ao lado

no mesmo fôlego

 

Tantos nãos, fiz coleção

desamores e decepção

dias sem riso

noites sem prazer

hoje olho tanto onde piso

dou limites ao que sinto

rastros deixou o furacão

 

É a alma a arrombar

os grilhões enfurecidos

à porta, as surpresas

um soluço em “sim”

e doses de confiança

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: