Diante das dúvidas

Ouso perder-me no bairro ao lado

com placas de ruas sem nomes

Perder-te, meu desatino

 

“O que é: o amor?”

Invento a resposta no meu sorriso

assim da verdade te desvio

 

Aos olhos que piscam a cada esquina

desejos pelos despojos do meu corpo

desprezo: lhes dedico

 

Amor: sabe bem

quem com esmero o jardim mantém

e os agradeço pela boniteza do gesto

 

Amor: explico-te

é o perfume dos jasmins

e das damas da noite

em incansáveis Primaveras

 

Apaixona-me no meu exílio

Dá-me teus desejos sinceros

nessas ruas onde nunca nos vimos

Quero-te: vem; e será sábado.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: