Infinita bondade

Afago o olhar

de tua infinita bondade

sobre nossas almas

 

Resplandece o mar

em desabitar

meus pensamentos

 

Encharcam-se teus pés

de dúvidas e lamentos

após a dolorosa oração

 

Ao fim do dia

pronuncias em ladainha

a correr-te os dedos

pelo terço

 

A noite sequestra

parcas esperanças

doces alegrias

e tantas confianças

 

Brilha o céu sob cerração

corto caminho

a tatear lembranças

 

Gorjeiam o dia

atiçando volúpias

amarradas em minhas mãos

 

Lava-te os temores

na chuva intensa

de um fim de semana

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: